Móveis Coloniais de Acaju

por CoolHype

Considerada por muitos a mais importante banda independente do Brasil, o Móveis Coloniais de Acaju é composto por 10 integrantes puramente candangos: André Gonzales (voz), BC (guitarra), Beto Mejiá (flauta transversal), Eduardo Borém (gaita cromática e teclados), Esdras Nogueira (sax barítono), Fabio Pedroza (baixo), Fabício Ofuji (produção), Gabriel Coaracy (bateria), Paulo Rogério (sax tenor), Xande Bursztyn (trombone). Considerada uma banda-empresa, esta organiza seu próprio festival, produz e vende seus produtos (camisetas, acessórios, discos, etc) e planeja suas turnês.

Em 1998 a banda surgiu com ideais que se confundem a outras bandas. Um grupo de jovens amigos que buscavam uma sonoridade singular, diversão e, quem sabe, o sucesso. Mal sabiam, naquele momento, que estavam a iniciar um dos mais ambiciosos e interessantes projetos musicais que o Brasil abrigaria.

Nos primeiros anos, foram muitos e muitos shows por Brasília. Bailes de formatura, festas de centros acadêmicos, shows de reggae, rock, metal… tudo! Além de Brasília, a banda se aventurou por Goiânia e São Paulo. Mas, em 2003, quando foram a única atração local selecionada para figurar o palco principal do Brasília Music Festival (abrindo para Live, Ultraje a Rigor e Charlie Brown Jr), viram que a coisa tinha que se profissionalizar.

o primeiro disco, foi gravado em outubro de 2004 no Rio de Janeiro, no estúdio Tambor, sob o olhar de Ramos (que havia recém lançado a Pitty) e os cuidados de Jorge Guerreiro. Foi a primeira grande experiência em estúdio. Reunia 12 das melhores composições da banda à época, que sintetizavam a “feijoada búlgara” – termo gastronômico usado pelo Móveis para explicar a mistura do rock, ska a ritmos brasileiros e do leste europeu.

A incansável vontade de tocar e ampliar seus horizontes levou a banda para uma turnê de seis shows pela Europa – Bélgica, Suíça, Rep. Tcheca e Alemanha, em agosto de 2008. Sem exceção, o Móveis foi ovacionado em todas as apresentações. Os novos ares ajudaram a banda a fechar o repertório do segundo disco, que seria gravado a partir de outubro de 2008.

De volta ao Brasil, e desta vez com o acompanhamento (quase fraternal) de Carlos Eduardo Miranda, a banda dedicou-se ao c_mpl_te (complete) – o aguardado segundo cd. Também com 12 faixas, o álbum destaca a união, o trabalho em grupo e a consolidação da identidade sonora.

O Móveis Coloniais de Acaju venceu esse ano o prêmio Multishow na categoria Experimente

  • Projeto TAMAR

Em comemoração aos 30 anos do Projeto TAMAR, o Móveis Coloniais de Acaju resolveu compor (juntamente com um compositor de Fernando de Noronha, João Medeiros) duas músicas em homenagem ao projeto TAMAR, foram elas: “Melrgulha e Voa” e “Por Você”

Anúncios