“Reflexão Fashionística” da semana!

por CoolHype

Refletir sobre a moda, pode e deve ser a decisão de sair literalmente da zona de conforto. Mas afinal, o que é o conforto quando se trata de pensar, vestir e viver?

Nos deparamos com uma questão que sim, é fútil, se chama vaidade. Sempre que pensamos no termo, o cérebro já faz uma ligação à quilos de maquiagem e acessórios, e isso não é uma opção, é algo cultural.

Imaginar o que os outros pensam de você é assustador e a vaidade em si está diretamente ligada a isso. Mas quando a sua saúde mental está em jogo, quando você entra no metrô ou vai a uma festa badalada, e só consegue pensar se sua roupa está agradando a todos, é hora de se tratar. Sua vida não vale menos do que uma bolsa da Céline ou do que aquela jaqueta de tachas (perfeita) da Burberry. Na verdade, vale muito mais. Não se oprima a fim de agradar os outros, o vestuário tem de ser orgânico à sua evolução como Ser Humano. As revistas, sites e até esse blog aqui, tem o dever de só e nada mais do que isso, oferecer idéias, imagens,textos e tendências para que você possa escolher uma na qual sua verdade se torne genuína. Digo isso como um alerta, me deparei em algumas situações sociais em que, o que eu estava vestindo era o assunto em priori. Dessas situações, pude tirar três lições:

– Nunca direi que minha jaqueta é “Grunge” ou “Camp” para ficar por cima. É cafona mesmo, Galliano e Ivan me entendem!

– Se diserem que você é uma garota doente pelo fato de usar sapatos masculinos ou um garoto sem noção por usar um supensório, Respire fundo e pense no quanto a vovó Westwood ficaria feliz em te ver assim!

– Oh Chanel, perdoe essas pessoas, elas não sabem o que dizem!

Voltando a problemática do conforto, saiba que se sentir bem com o que veste e escuta, é a melhor coisa do mundo. Esqueça tudo e todos, nesse ponto, seja egocêntrico sim. Pense que o metrô está vazio e que, na festa você está dançando sozinho. Se fizer tudo isso lendo boas revistas e atualizando os blogs bacanas, fará bem vestido!

Anúncios