Calangos se aventuram fora do Cerrado

por CoolHype

Os três gigantes da moda brasiliense apresentam para a o Rio Moda Hype (Akihito e Sann) e para a tão esperada nova edição da Casa dos Criadores (Anna)  seus trabalhos que, saem do underground e aspiram ao mainstream. Akihito, Anna Paula e Sann Marcuccy dão o que falar (vestir). É notável que, quando se tem talento e feeling para criar a identidade de uma marca, pode-se ir longe, no bom e no mal sentido. xD

Marcuccy traz referência a um pensamento “antropofágico religioso”, na qual, os acessórios têm o poder de compor essa idéia de forma fiel. As transparências em certas peças fazem total sentido a modelagem e a fluidez das roupas na passarela. Percebemos também o sóbrio que foi usado anos atrás por Houston e Chanel, criando um tom místico e curioso em torno do que se produzia. Sann mesmo que indiretamente, usa do mesmo artifício para que motive o consumidor esclarecido a buscar por algo mais misterioso nesse inverno.  Marcuccy apresentou uma coleção coerente a sua marca.

O japa preferido do blog, Akihito Hira, arrancou suspiros indiretos dos homens que assistiram ou viram as peças apresentadas no FRMH. Akihito se apresenta cada vez mais competente na moda masculina. O estilista expõe uma coleção de assimetria desconstruída, com referência notável a técnica de camuflagem. Também é possível enxergar a miscelânea proposta em fator do vestuário masculino. As peças clássicas como coletes e ternos se misturam em uma forma divertida e “Björk rules”. Os shorts em alfaiataria impecável nos impressionam. Só me questiono quanto à versatilidade do Akihito, mas isso ele nos prova na próxima coleção. Go guy! O mais incrível disso tudo é que as gravatas borboletas da marca fazem os três blogueiros dessa pagina suspirarem!

Anna Paula mostrou uma moda masculina forte. Com modelagem sempre muito geométrica, podemos ver sua nova coleção intitulada “Vivo”, sob uma ótica pesada, por motivo das cores marcantes representando o sangue pulsante no homem e afins.

Referente ao charme italiano de sua última coleção, a estilista apresenta uma proposta mais tropicália, profusa, porém sentimos certa representação prolixa do homem que a marca mostra a cada coleção. Quebrando toda a idealização de certa brutalidade masculina, Anna mostrou nessa coleção que homem também pode usar transparência, deixando-o sofisticado e elegante.

Anúncios