Reflexão da semana – HYPE mas não fútil!

por CoolHype

Até 5 minutos atrás, estava eu criticando as tendências, modismos e todas as peculiaridades que passavam em um desses shapes de semana de moda em um canal de tv. Mas me deparei com a problemática: ” Estou querendo uma roupa para acompanhar algo deste inverno” – besta não acham?!

Escrevo tanto sobre como é patético a pessoa respirar pelo ar condicionado de shopping a vida toda e não saber o que veste, achar que só por comprar algo de alguma loja mais cara já faz da pessoa um pensador da moda e todas essas fútilidades mas, não parei um segundo sequer para refletir que o nome do meu blog é narcisista e barato – COOL HYPE – Isso faz de nós pessoas burras? Não.

 

O sistema que dá apoio a nossa “cultura de moda” , esse sim, faz de nós pessoas burras porém “hypadas” “badaladas” “it”.Mas quando você realmente entra nesse sistema, e vê a real face do bicho, fica então indginado, quer quebrar tudo, usar e escutar as roupas da passarela, aquelas “exageradas” e então, começa a ler sobre moda, buscar referências que NUNCA encontrará no shopping, ter senso crítico o bastante para descobrir que a ZARA nunca matará sua fome de identidade. Se isso tudo lhe aconteceu, é porque você deixou de ser “Fashionista Emergente”, na verdade você deixou de ser qualquer coisa que lhe categorize, você encontrou uma verdade, seja na moda, música, arte, seja na vida. Isso felizmente aconteceu comigo, e não vejo razão para falar apenas sobre tendências, mas para falar também sobre algo muito além do que é HYPE ou COOL, para falar de sentimentos que a roupa e a música podem transmitir para o nosso cotidiano.

Ah, decidi que tenho Cardigans lindos para usar nesse inverno e não precisarei comprar nada, e cofesso ter parado para assistir esses programas de semana de moda só para ver o quanto sou apaixonado pela Maria Prata e pela Constanza que sempre aparecem!

“HYPE + Ñ FÚTIL”

Anúncios